4 armadilhas saudáveis

Você sabia que alguns alimentos vendidos como alimentos saudáveis podem ser armadilhas para sua alimentação?

Médico Theo Webert desmistifica fama de alimentos que prometem ser aliados de uma dieta equilibrada

A desinformação ainda é a maior inimiga quando o assunto é alimentação realmente saudável. Propagandas enganosas ou até tendenciosas acabam levando o consumidor a acreditar erroneamente sobre a qualidade nutricional de determinados produtos. O alerta é feito pelo médico Theo Webert, que atua em nutrologia e qualidade de vida.

“Não é raro encontrar as cozinhas e despensas de casas recheadas com guloseimas e lanches tidos como saudáveis, mas que na verdade podem ser verdadeiros vilões em dietas balanceadas”, explica o doutor. Segundo ele, muitos pacientes que mantém uma alimentação equilibrada rigorosa acabam sendo pegos de surpresa ao descobrirem a real composição de produtos vendidos como “fitness”.

O médico elenca alguns dos alimentos que podem enganar os consumidores que procuram ter atenção maior com a alimentação:

4-armadilhas-saudaveis

1- Cereais

Os cereais matinais, por exemplo, podem liderar a lista de falsos alimentos saudáveis. E não são apenas os cereais açucarados, aqueles procurados por crianças. “Outros, como granolas, que são misturadas com uvas-passas, possuem um índice glicêmico muito alto e podem potencializar o nível de açúcar no sangue, o que não é bom para o equilíbrio corporal. A solução é sempre conferir a composição de cada marca”, explica o médico.

Theo Webert afirma que farinhas de aveia instantânea e trigo soprado possuem também índices glicêmicos muito elevados. “Se for para ingerir cereais, escolha um rico em fibras e com nozes. A gordura e a fibra retardarão o impacto da insulina no sangue”, orienta.

2- Frutas Secas

Segundo o especialista, frutas secas também carregam um alto impacto glicêmico. “Frutas secos, se não forem orgânicas, carregam uma grande concentração de pesticidas e de produtos químicos”, disse. O médico explica que a tendência das pessoas é sempre procurar as frutas secas, mas que deveriam optar pelas frutas desidratadas. “O melhor a fazer é certificar-se de que os frutos secos são orgânicos. Além disso, deve-se misturar seu consumo com gordura boa para retardar a glicemia na corrente sanguínea”, diz.

3- Produtos sem glúten

O médico ainda orienta sobre os produtos de glúten reve. Agora você vê maior espaço de prateleira em cadeias de mercearias nacionais dedicadas a produtos sem glúten. “O problema é que ninguém tem prestando atenção aos ingredientes. A solução de muitas indústrias para colocar mais sabor a esses produtores é colocar um monte de açúcar, subprodutos da soja, produtos químicos e ainda conservantes”, frisa.

4- Proteína em barra

Algumas barras de proteína acabam enganando, principalmente pelo sabor açucarado, químico. “Devemos investigar a composição de cada uma delas, pois várias possuem edulcorantes diferentes e soja na lista de ingredientes. Arrisco a dizer que muitas delas são brownies com embalagens disfarçadas. O melhor é sempre seguir a prescrição de seu profissional”.

 

 

 

 

Pin It


Dia da Saúde e Nutrição – alimentos industrializados x saúde

Como manter a saúde em dia frente à praticidade dos produtos industrializados?

Neste dia 31, Dia da saúde e da nutrição, é tempo de dar uma pausa na rotina e pensar nos alimentos que ingeridos diariamente e como isso reflete na saúde. Mesmo que os alimentos congelados, semiprontos e industrializados sejam os grandes aliados para ganhar tempo diariamente, a indicação é clara: “Prefira alimentos in natura”, aconselha a nutricionista Gabriella Alves, da Corpometria – Centro de medicina avançado em avaliação corporal.

Dia da Saúde e Nutrição

Em pesquisa nacional feita pelo Fiesp/Ibope, em 2010, indicou que 34% brasileiros tem propensão a escolher os alimentos de acordo com a conveniência e praticidade, seguindo a tendência mundial. Este quesito ficou a frente de confiabilidade e qualidade (23%), sensorialidade e prazer (23%) e saúde e bem-estar (21%).

Nas academias tornou-se comum a presença de comidas caseiras, segundo Talles Sucesso, professor da academia Bodytech – Lago Sul. Ao invés da alimentação pobre oferecida pelas comidas congeladas, as “marmitas” oferecem tudo o que é necessário para a prática de atividade física.

Maria Francineide, 24, optou por fazer a comida em casa. Mesmo com a rotina cheia, ela começou a fazer exercícios e sempre arruma um tempinho para preparar a própria comida para consumir durante o dia. “A minha família tem histórico de obesidade, então decidi cuidar melhor da minha alimentação e iniciei a prática de exercícios físicos”, conta a faturista hospitalar.

Algumas pessoas optam também por comprar comida voltada ao público fitness, que são comidas caseiras preparadas por empresas especializadas. “Elas são preparadas com um tempero mais saudável, com menos sódio e uma quantidade adequada de carboidrato”, destaca o personal trainer.

Plano Alimentar

A execução de um plano alimentar saudável e prático é completamente possível. “Alimentos in natura podem ser tão práticos quanto fast-foods! Há algo mais prático que uma fruta?”, questiona a nutricionista Gabriella. A alimentação equilibrada e natural fornece todas as vitaminas e minerais necessários a nutrição do organismo. Já uma alimentação rica em industrializados é limitada em nutrientes.

A indicação de Gabriella é que o consumo de comidas prontas deve ser feita somente em último caso e na hora da escolha, dar preferência aos que tem menos sódio. O segredo é que quanto maior o prazo de validade, mais componentes químicos ele contem. “Quanto maior o tempo de prateleira, mais atenção deve-se ter ao produto pois ele provavelmente contém alta concentração de corantes e conservantes. O teor de sódio também deve ser considerado, dando preferencia aos produtos com menor proporção desse componente”, adverte.

A melhor forma de obter um plano alimentar individualizado é através de um nutricionista. O profissional capacitado irá levar em consideração todas as especificidades do indivíduo e propor uma dieta que seja condizente com a sua rotina, tornando viável alimentar-se da melhor forma mesmo na rotina mais atarefada.

 

 

Pin It


4 dicas da nutricionista – Dia da Saúde e Nutrição

Nutricionista dá dicas para uma alimentação equilibrada e recomenda inserir alguns nutrientes específicos na alimentação

Dia 31 de março é comemorado o Dia da Saúde e Nutrição, data que faz parte do calendário do Ministério da Saúde e tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância dos cuidados com a saúde e alimentação. Pensando nisso, a nutricionista Lara Natacci, diretora da DietNet e coach de bem-estar, cita alguns cuidados que devem ser tomados para levar uma vida saudável e equilibrada. Confira abaixo:

Inclua fibras, vegetais e gorduras insaturadas no dia a dia

Fibras: opte pelas as versões integrais dos pães e massas; além de incluir aveia e outros grãos no dia a dia. As leguminosas, como feijão, ervilha, grão de bico, lentilha e soja também são opções de alimentos ricos em fibras, além das frutas, verduras e legumes. As fibras podem ajudar a deixar mais lenta a absorção dos açúcares consumidos.

Acrescentar molhos diferentes, como os à base de maionese ou azeite de oliva, pode ser um modo interessante não só para variar a maneira de consumir os vegetais, mas também de melhorar o valor nutricional da preparação, pois agrega gorduras poli-insaturadas.

Gorduras insaturadas: estão também presentes no salmão e atum, nos óleos vegetais e produtos feitos à base deles, como cremes vegetais. A inclusão dessas gorduras na alimentação pode ajudar a manter níveis adequados de colesterol.

4 dicas da nutricionista

Pratique exercícios físicos

Caminhar 30 minutos todos os dias pode ser o suficiente para trazer benefícios. Atividades físicas como caminhada, corrida e ciclismo podem reduzir o colesterol ruim e aumentar o bom, manter o peso corporal, fortalecer a musculatura, controlar os níveis de “açúcar” no sangue, regular a pressão arterial e promover liberação de substâncias que proporcionam prazer e ajudam no controle da ansiedade. Lembre-se: procure sempre a orientação de um profissional de saúde.

Modere o consumo de sal

Uma forma simples de evitar o consumo excessivo do sal é experimentar a comida antes de acrescentar mais tempero durante a preparação. Também vale retirar o saleiro da mesa, pois isso ajuda a reduzir a vontade de colocar sal no prato. Quando utilizar temperos em pó ou caldos, leia atentamente os rótulos e não adicione mais sal.

Não se esqueça dos exames de rotina

Não permita que a rotina diária o impeça de cuidar da sua saúde e fazer exames periódicos, como medir os níveis de açúcar e de colesterol no sangue, bem como a pressão sanguínea. É necessário e muito importante manter os exames em dia, realizando-os ao menos uma vez ao ano. Além disso, o acompanhamento com um nutricionista ajuda a manter uma alimentação equilibrada.


 

Conte com o blog da Specialità Fitness para ter sempre dicas de nutrição para ter uma vida mais saudável. Não somos só uma loja de roupas de academia, queremos motivar quem deseja ter mais qualidade de vida através da atividade física e uma boa alimentação!

Pin It


Café da manhã balanceado com dicas da nutricionista

Café da manhã balanceado ajuda a começar bem o dia!

Nutricionista Lara Natacci indica quais itens podem contribuir para começar bem o dia

dica-nutricionista-cafe-manha-equilibrado

Para se sentir bem disposto ao longo do dia é importante tomar um café da manhã balanceado, que inclua proteínas, vitaminas, minerais e carboidratos. Depois de um longo período de jejum, esta é a principal refeição que tem a função de repor a energia gasta pelo organismo durante o sono e também colabora para as atividades do começo do dia.

Ingerir os grupos de alimentos corretos é essencial para ter um café da manhã equilibrado. A nutricionista Lara Natacci, do DietNet, orienta a optar por itens com nutrientes variados e que também ajudem a manter a sensação de saciedade.

Anote os 5 grupos de alimentos que a Lara selecionou como sugestão para compor o seu café da manhã:

1. Inclua uma fonte de cálcio e proteínas, como o leite (ou seus derivados: iogurtes e queijo) ou bebida à base de soja;

2. Invista em cereais (como pães, biscoitos, bolo simples) que conferem energia para começar bem a manhã. Priorize as versões integrais por terem mais fibras e ajudarem a manter a sensação de saciedade;

3. Adicione uma fonte de gorduras insaturadas, importantes para o bom funcionamento do organismo e na prevenção de doenças cardiovasculares. Uma opção interessante é a manteiga de amendoim, que dá um sabor gostoso no pão, bolo, biscoito, torrada ou mesmo na tapioca. O azeite de oliva também pode ser utilizado, assim como as sementes oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas), e o abacate.

4. Deixe ainda mais gostoso, incluindo frutas, que são excelente fonte de fibras, vitaminas e minerais;

5. Beba chá. Os chás (verde e preto) possuem teanina, um aminoácido que ajuda a dar aumentar a atenção e foco nas atividades. Os chás têm menor quantidade de cafeína que o café, logo, também são uma ótima alternativa para começar bem o dia!

Pin It


Compulsão alimentar – dicas da nutricionista

Compulsão Alimentar: Nutricionista explica os sintomas da compulsão alimentar e dá dicas de como driblar o desejo insaciável e além do necessário de comer

Será que a gulodice não pode se transformar em um transtorno? Passar da medida em uma refeição um dia ou outro é normal, mas quando isso se torna recorrente e a pessoa sente a necessidade de comer, mesmo quando não está com fome ou quando já está satisfeita, cuidado! Isso é um sintoma de compulsão alimentar.

Compulsão Alimentar

Nutricionista fala sobre a Compulsão Alimentar

Mariana Nacarato, consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI), explica que os principais fatores que levam a esse distúrbio são: depressão, ansiedade, preocupação constante com o peso e cardápios restritivos.

“Na maior parte dos casos de compulsão, a pessoa começa a comer com culpa e arrependimento quando está fissurada em cumprir à risca alguma dieta restritiva, daqueles falsos modismos que erroneamente cortam alimentos fonte de energia e indispensáveis no cardápio, como pães, massas e doces, que são vistos como ‘proibidos’. No primeiro contato com estes pseudos ‘vilões,’ a ansiedade gera perda de controle e falta de bom senso com a quantidade a ser ingerida”, explica.

Além das questões comportamentais, a gula também pode sinalizar algumas deficiências nutricionais do corpo. O desejo aumentado por doces pode indicar falta de magnésio (mineral que ajuda a produzir energia) ou cromo (mineral que auxilia nas funções de insulina), por exemplo.

Dicas para evitar a compulsão alimentar

Para driblar essa vontade exagerada de comer, é essencial começar pela mudança no pensamento, compreendendo que excessos não fazem bem e que dentro de uma alimentação saudável é possível ter uma variedade de produtos, incluindo os mais ricos em energia (carboidratos) ou gordura. “É importante considerar que cada alimento tem uma porção e frequência adequada, e até os conhecidos como “guloseimas” podem fazer parte de uma rotina equilibrada, desde que consumidos com moderação”, explica a nutricionista.

Alimentar-se prestando atenção nos sinais de fome e saciedade do corpo também é uma dica para contornar os momentos de gula. É claro que ela requer paciência e autoconhecimento, mas é muito eficaz! “Quando abrir espaço para uma indulgência, escolha um que goste bastante e aprecie com calma, pois desta forma é mais fácil se saciar com uma quantidade menor. Caso exagere, evite comportamentos de compensação como omitir refeições ou fazer jejuns, pois eles apenas agravam a sensação de culpa”, diz Mariana.

Por fim é válido lembrar que alimentação não é apenas o consumo de nutrientes, e sim um ato social e um prazer que sempre acompanhou os seres humanos. Portanto, aproveite este momento sabendo equilibrar frequência e quantidade, sem recorrer à gula.


Nós da Specialità Fitness não recomendamos nenhuma dieta para emagrecer, engordar ou ganhar massa muscular. Apoiamos a decisão de mudanças de hábitos alimentares para que as pessoas tenham uma vida saudável, e consequentemente melhorem a qualidade de vida, e para isso indicamos que busquem ajuda profissional de um nutricionista, o profissional que irá avaliar a situação individual de sua saúde, necessidades e rotina diária, podendo prescrever a dieta mais adequada para cada caso.

Alimentação saudável e atividade física é sempre o melhor caminho para uma vida saudável! Conte sempre com as dicas do nosso blog fitness e acompanhem nossas redes sociais!

Instagram: @specialitafitness

facebook.com/SpecialitaFitness

 

 

Pin It


Preciso cortar gordura da alimentação?

Nutricionista explica: não é preciso cortar gorduras da alimentação

Todo organismo precisa de gordura. A afirmação pode até parecer estranha para alguns, mas a verdade é que elas são fundamentais para a saúde do corpo. Apesar da má fama que muitas vezes levam, se consumidas com moderação elas são fonte de energia, facilitam a absorção de algumas vitaminas, são responsáveis por manter as paredes das células funcionando bem e têm papel fundamental na composição de hormônios importantes para a saúde.

Gordura boa - saiba como usar melhor a gordura

A nutricionista Ana Carolina Moron Gagliardi explica que a gordura é classificada como macronutriente e conhecida também como lipídio, é formada por ácidos graxos unidos a um glicerol. “Toda gordura em excesso, que não é usada pelo corpo, é transformada pelo fígado em triglicerídeos, que são transportados pela corrente sanguínea até os tecidos adiposos para serem armazenadas como estoque de energia, na forma de gordura”, esclarece Ana Carolina.

A maior parte da gordura em nosso corpo e nos alimentos que consumimos está na forma de triglicerídeos, que são produzidos a partir do excesso de energia não utilizada pelo organismo. Os ácidos graxos são classificados como saturados e insaturados (monoinsaturados e poli-insaturados).

Confira a diferença entre as gorduras no quadro abaixo:

Gordura boa e gordura ruim - entenda melhor!

Agora fica mais simples entender a importância do equilíbrio no consumo de gorduras e que o excesso pode torná-las prejudiciais para o corpo. A nutricionista Ana Carolina Moron Gagliardi explica que o consumo excessivo de gorduras pode provocar doenças cardiovasculares. Ela também aponta dez dicas importante sobre o assunto:

Dicas da Nutri

– Fique de olho na tabela de informação nutricional que vem no rótulo da embalagem;

– Não abuse: em média, o consumo diário de gordura não deve ultrapassar 25% da ingestão calórica total, considerando uma dieta de 2.000 calorias diárias;

– Procure consumir peixes e carnes magras, e prefira preparações assadas ou cozidas;

– Evite frituras;

– Consumo sem exageros de oleaginosas (amêndoas, amendoim, nozes, castanhas);

– Coma com frequência e variedade frutas, verduras e legumes;

– Dê preferência a alimentos e grãos integrais;

– Evite o consumo excessivo de bebidas alcóolicas;

– Tente controlar o estresse;

– Pratique exercícios físicos regularmente.

REFERÊNCIAS

Interim Summary of Conclusions and Dietary Recommendations on Total Fat & Fatty Acids From the Joint FAO/WHO Expert Consultation on Fats and Fatty Acids in Human Nutrition, November 10-14, 2008, WHO HQ, Geneva.

MALACHIAS M.V.B. et al. Sociedade Brasileira de Cardiologia. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2016.

SANTOS, R. D. et al. Sociedade Brasileira de Cardiologia. I Diretriz sobre o Consumo deGorduras e Saúde Cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2013.

 

Pin It